Teu Retrato

(Canção de Maurício Duboc e Carlos Colla)

Teu retrato sorriso frio, falso, fraco
O teu olhar parado triste nem parece que é teu
Teu retrato cravado em aço, pedra e fogo
Neste amor impossível que eu carrego
E que sempre foi teu
Teu retrato que eu beijo com tanta ternura
E acabo rasgando na minha loucura
A tortura que eu vivo e que me faz morrer
É a vida mais triste que alguém pode ter
Teu retrato é a derrota que levo comigo
Teu olhar é um veneno que eu bebo e bendigo
Esta angústia que mata e que me faz viver
É a morte mais linda que eu posso morrer
Teu retrato, lembrança quieta de um passado
De um amor que foi tudo e que por nada desapareceu
Teu retrato amarelado pelo tempo
A confidência triste de um pecado
De um sonho que morreu.