Salve a Cabrocha

(Samba de Zé Keti)

Eu nasci no morro sim
Não desprezo o tamborim
E no morro eu vivo bem, sou feliz, como ninguém

Gosto mais da batucada, numa noite enluarada
É tão tom sambar
como o samba de morro não há
Não há, não há, não há, nem pode haver
A gente samba sem querer

Ganha-se pouco mas é divertido
Lá tudo é belo, tudo é florido
As cabrochas têm no corpo um feitiço
Não há que não goste do seu reboliço

Carregam água o dia inteiro
A noite estão lá no terreiro
Sambando, gingando, mexendo com as cadeiras
Salve a cabrocha brasileira
(bis)