Rua sem Sol

(Samba-Canção de Mário Lago e Henrique Gandelman)

Existe perdida num canto
Qualquer da cidade
Uma rua sem sol
E sem felicidade

Triste de terra batida
De gente mais triste abatida
Pelos socos da vida
Tão cruel de caminhar

Na rua sem sol ninguém ri
Ninguém faz batucada
E até a garotada
Já esqueceu de brincar

Quem vai passar vai pensar
Que a vida parou
E na rua sem sol
Só os fantasmas a vida deixou

Mas no alto da rua sem sol
É a esperança no sol
Que amanhã há de vir
Nesse dia de sol
Essa rua sem sol vai cantar, vai sorrir