Prisioneira

(Canção de Cláudio Fontana)

Graças dou a esta vida
Por teu amor
Graças porque me prendestes
Em teu coração
Tornei-me prisioneira
Desse amor desesperado
Do teu ciúme apaixonado
Do teu amor que não existe igual
Tornei-me prisioneira
Dos teus beijos tão ardentes
Do teu calor
Teu corpo quente
Do teu pecado genial
E como eu me sinto bem
Sou tua prisioneira
Na prisão do teu coração
Eu vivo a vida inteira
Eterna prisioneira
Envolvida nos abraços
Mergulhada nos teus braços
Sufocada com teus beijos
Eterna prisioneira
Desse amor tão diferente
Amor tão louco, inconseqüente
Amor assim
Já não existe igual