Por Tudo que é sagrado

(Bolero de Evaldo Gouveia e Jair Amorim)

Por tudo que é sagrado, amor
Te juro que não quero mais
Pelo que mais sincero for
Te digo que não volta atrás
Podes trazer em teu olhar
O que de bom tu queres dar
O mal ninguém mais tira
Não quero o teu amor
Nem de mentira

O que me importa
Se vens ou não à minha porta
Aberta encontrarás talvez
Mas nunca mais meu coração
Por tudo que é sagrado, amor
Eu juro que não
(bis)