Perseguição

(Canção de Carlos da Maia e Avelnio Souza)

Se de mim nada consegues
Não sei porque me persegues
Constantemente na rua
Sabes que sou casada
Que fui sempre dedicada
E que não posso ser tua

Só porque és rico e elegante
Queres que eu seja tua amante
Por capricho ou presunção

Eu tenho um marido pobre
Que possui uma alma nobre
E é toda a minha paixão

Rasguei as cartas sem ler
E nunca quis receber
Jóias ou flores que trouxeste

Não me vendo nem me dou
Pois já dei tudo que sou
Ao amor que não conheces
(Bis)