Os Argonautas

(Canção de Caetano Veloso)

O barco, meu coração não agüenta
Tanta tormenta alegria
Meu coração não contenta
O dia, o marco, meu coração
O porto, nada
Navegar é preciso
Viver não é preciso
Navegar é preciso
Viver não é preciso

O barco, noite no céu tão bonito
Sorriso solto perdido
O horizonte madrugada
O riso, o arco, da madrugada
O porto, nada

Navegar é preciso
Viver não é preciso
Navegar é preciso
Viver não é preciso

O barco, o automóvel brilhante
O trilho solto, o barulho
Do meu dente em tua veia
O sangue, o charme, barulho lento
O porto, silêncio

Navegar é preciso
Viver não é preciso
Navegar é preciso
Viver não é preciso
O porto, silêncio
O porto, silêncio