Maria do Cais

(Samba-Canção de Luiz Antônio)

Maria do cais
Na beira do cais
Sempre a espera de alguém

Um dia Maria, como qualquer Maria
Achou o seu bem
Sonhou acordada
Seu sonho de amor
Despertou, não viu nada
Sentiu-se enganada
Maria chorou

Vida perdida na vida que conduz ao nada
Soma de dores e dores em cada jornada
Um lenço branco que fica, um lenço branco que vai
O triste adeus que indica
Outra Maria que cai, ai, ai

Quanta Maria aguardando esperanças no mar
Quanta Maria afogando tristezas num bar
Dois olhos sobre o horizonte
Na luz distante e fugaz
Na procissão das Marias
Pobres Marias do cais
(bis)