Madreselva

(Canção de Francisco Canaro e Luis César Amadori, versão de Amarilda)

Caramanchão do meu jardim
Recordação que não tem fim
Primeiro amor, meiga ilusão
E a linda flor da madreselva

Guarda a lembrança, vibrando n’alma
Com esperança e doce calma
Em meu jardim, com emoção
Cantei assim, a primeira confissão

Madreselvas em flor deste caramanchão
Meu recanto de paz, da minha adoração
Na cor do arminho, eu vejo a inocência
E sinto carinho, no meu coração

Madreselvas em flor que me fazem sonhar
Na expressão de um olhar, com suave candor
Quando a madreselva, de novo floresce
Eu rezo uma prece, beijando essa flor

Então a florzinha, com sua pureza
Vê minha tristeza e choro de dor