Loucura

(Canção de Júlio de Souza e Frederico de Freitas)

É loucura
Querer-te bem
Sou irmã da desventura
Tinhas razão, minha mãe
É loucura
Adorar-te
Estar sedenta de ternura
Sem mesmo poder beijar-te
Chorai, chorai
Guitarras da minha terra
O vosso pranto encerra
Minha vida amargurada
E se é loucura
Amar-te desta maneira
Quer eu queira, quer não queira
Não posso amar-te calada
Hei de ser sempre tua
Hei de subir e descer
Os degraus que Deus me deu
Adorado
Serei louca
Mas a loucura é bem pouco
Para o que tenho passado
Chorai, chorai
Guitarras da minha terra
O vosso pranto encerra
Minha vida amargurada
E se é loucura
Amar-te desta maneira
Quer eu queira, quer não queira
Não posso amar-te calada