Lisboa Antiga

(Canção de Raul Portela, José Galhardo e Amadeu do Vale)

Lisboa velha cidade, cheia de encanto e beleza
Sempre formosa a sorrir e ao vestir sempre airosa
O branco véu da saudade cobre o teu rosco, ó linda princesa

Olhai senhores, esta Lisboa de outras eras
Das cruzadas, das esperas e das touradas reais
Das festas, das populares procissões
Dos populares pregões matinais, que já não voltam mais
(Bis)

Lisboa de ouro e de prata
Outra mais linda não há
Eternamente a cantar
A brincar, de contente
O teu semblante se retrata
No azul cristalino do Tejo