Lencinho Querido
"El Pañuelito"

(Canção de J.C. Filiberto e C.G. Peãzola, versão de Maugeri Neto)

Guardo o lencinho branco
Que esqueceste ao me abandonar
Manchado assim pelo carmim que
Tiraste dos lábios quando a me beijar
(Bis)

A tarde estava fria
Frio também, estava o teu carinho
Longe senti, que não me amavas
E que abandonavas o nosso ninho

Guardei teu lencinho, para recordar
A boca que nele deixaste ficar
E um louco desejo me fez delirar
E os lábios que eu vejo eu beijo a chorar

Meu lenço amigo, comigo ficou
Fiel companheiro, não me abandonou
Lencinho querido, que hei de fazer
Se aquele amor não consigo esquecer

Lenço branco que ilusãol aquele louco amor
Tudo agora é solidão, ele já não volta mais
Só o carmim foi o que restou
Daqueles lábios sensuais
Lembrança viva que ficou, junto das iniciais