Já Era Tempo

(Samba de Ary Barroso e Vinícius de Moraes)

Já era tempo de você voltar
Me beijar, esquecer
Já era mais que tempo de você
Refletir que as palavras
Muitas vezes não provém do coração

Já fazem meses que você, meu bem
Disse adeus e partiu
Já era tempo de você chegar
Como eu, com os olhos rasos d'água
Mas sem mágoa

Triste de quem tem e vive à toa
Triste de quem ama e não perdoa
Ai, de quem não cede
De quem sempre tem razão
Ninguém sabe mais que o coração

Por isso eu peço, volta aos braços meus,
Sem adeus, só perdão
Porque na hora em que você chegar
Como eu, com os olhos rasos d'água
Mas sem mágoa

Primeiro eu vou fingir espanto
Depois sorrir, banhada em pranto