Cha-Cha-Cha da Moça

(Cha-Cha-Cha de Haroldo Barbosa - Luiz Reis)

A moça quando chega aos dezesseis
Está madura, está na vez
De pensar muito mais nela

Se acorda suspirando
E passa as tardes na janela
Lá vai ela, lá vai ela e eu digo "chá"

Chá, chá-chá-chá da moça
Chá, chá-chá-chá da moça
Chá, chá-chá-chá da moça

A moça quando casa pelos trinta
Conservando ainda a pinta
Duma juventude bela

Se briga com o marido sem razão,
Sem mais aquela
Lá vai ela, lá vai ela e eu digo "chá"

Chá, chá-chá-chá da moça...

A moça quando entra nos quarenta
E o demônio ainda tenta
Nos seus sonhos de donzela

Se sofre com carinhos
De mocinhos de novela
Lá vai ela, lá vai ela e eu digo "chá"

Chá, chá-chá-chá da moça...

A moça se tiver aquela idade
Que perde a felicidade
Do princípio até o fim

Se um dia for embora
Como um pombo que se solta
Ela volta, ela volta para mim

Chá, chá-chá-chá da moça...