Calúnia

(Canção de Paulo Soledade e Marino Pinto)

Quiseste ofuscar minha fama
E até jogar-me na lama
Só porque eu vivo a brilhar
Se mostraste ser invejoso
Viraste até mentiroso
Só para caluniar
Deixe a calúnia de lado
Se de fato és poeta
Deixa a calúnia de lado
Que ela a mim não afeta
Se me ofendes tu serás o ofendido
Pois quem com o ferro fere
Com o ferro será ferido