Algodão

(Samba de David Nasser e Custódio Mesquita)

Nêgo num cantava não
Nêgo num chorava não
Nêgo num rezava não
Nêgo num amava não

Que é que nêgo fazia
Tirava da terra fria
Dia e noite, noite e dia
Algodão, mais algodão
Sabe Nhô branco
De onde vem os agazalho
Pras frieira e reumatismo
Pras mania da Sinhã
De onde vem os lenço branco
Pra Sinhã moça chorá
De onde vem os pano preto
Pro Sinhô véio morrê
E os panos das bandeiras pros soldados guerriar
De onde vem a renda pra fazer os inxová
Nêgo veio trabaiô, dia e noite, noite e dia
Tirando da terra fria
Algodão mais algodão
Pra Nhô branco sê doutô
E você preto véio, o que foi que ganhô
Eu consegui essa cabeça branca
Branca como o algodão
Que preto véio plantô