Vítima de assalto, cantora Angela Maria desiste de abandonar Brasil

Sérgio Ripardo, da Folha Online.

A cantora Angela Maria, 75, desistiu de deixar o Brasil, como chegou a cogitar em dezembro de 1999 quando ladrões com metralhadoras invadiram sua casa, roubaram suas jóias e ameaçaram sequestrá-la no Jardim Marajoara (zona sul de São Paulo).

"Não sei viver sem feijoada. Morro de saudades. Nos anos 60, quando morei três anos na Europa, cheguei a pedir à Varig que me trouxesse os ingredientes", diz a carioca Angela, que mora na capital paulista há 32 anos.

Considerada a cantora mais popular do Brasil nos anos 50, ela recebeu o apelido de "Sapoti" pelo presidente Getúlio Vargas (1883-1954).

Hoje, a artista evita relembrar os momentos do assalto.

"Passou a raiva. Não deixo minha terra por causa de uma bobagem."

Angela afirma que já pensou em voltar a morar no Rio, onde costuma fazer shows. Mas a oferta de trabalho é maior em São Paulo.

Cair no anonimato no exterior também pesou na decisão de continuar no país.

"O brasileiro sabe aplaudir, abraçar, agarrar. Lá fora, há uma distância, um muro. Eu sentiria falta do sangue quente do nosso povo."

Em setembro, Angela vai quebrar o jejum de quatro anos sem lançar um CD. Contratada pela gravadora paulista Lua Discos, Angela já entrou no estúdio para canter 16 músicas que ficaram famosas na voz de outros intérpretes como Roberto Carlos, Djavan e Lulu Santos. 

O trabalho vai marcar os 50 anos de carreira da diva dos anos 50. Nas noites, em São Paulo, ela se apresenta, com frequência, no Piano Forte [rua Groenlândia, 513 Jardim Paulista].

Voltar